etiquetas para alimentos

Comunicação e qualidade: Uso de etiquetas para alimentos

Se você é empreendedor da área de alimentos, seja restaurante, lanchonetes ou produção caseira, sabe que é preciso estar sempre de olho nas regulamentações que versam sobre as etiquetas de manipulação de alimentos.

Essa atenção especial se deve ao fato de que para comercializar esses itens é importante que os rótulos atendam as leis estabelecidas pelos órgãos de vigilância sanitária, de modo a garantir a segurança e saúde de todos.

Os rótulos são muito importantes para os consumidores pois garantem a segurança do consumo, de modo que as informações sejam vistas de forma clara e objetiva.

Por isso, se você é dono de restaurante ou fabricante de alimentos, é importante saber sobre as características principais de uma etiqueta para o ramo alimentício, que podem ser rótulos que vão no alimento ou que estarão na embalagem como em uma caixa para salgados de uma padaria.

Acompanhe as informações completas no texto abaixo.

As etiquetas para alimentos

Os rótulos ou etiquetas para alimentos podem ser feitos de diversos materiais. Esses materiais são:

  • BOPP (polipropileno biorientado);
  • PET (poliéster);
  • Papel couchê;
  • Papel sintético.

Há outros tipos de materiais também, entretanto, não tão adequados para o ramo alimentício.

As etiquetas,m além de respeitarem os materiais que serão feitos, precisam atender as especificações da Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária).

Essas especificações permitem que o rótulo possa ser colado junto ao produto como as etiquetas de frutas, carnes, salames, queijos e outros sem prejudicar o alimento ou sofrer danos no material, prejudicando a leitura da informação.

As etiquetas também podem ser tags, que são rótulos sem adesivo e são colocados junto com o a embalagem do produto.

No primeiro caso, que são etiquetas adesivas personalizadas para alimentos, é importante que o material em que as informações estão inseridas sejam adequados, como também o adesivo precisa atender a resolução nº 123/2001 da Anvisa, que lista as substâncias que o adesivo precisa apresentar.

Todo esse cuidado é para que tanto os donos de restaurante e lanchonetes como os consumidores possam oferecer e receber um serviço seguro, afinal, alimento é algo que exige extremo cuidado no seu manejo.

Cuidado e legislação dos rótulos alimentícios

Para que seu produto seja considerado seguro, é importante ter o cuidado com o rótulo e a embalagem. Esse conjunto de cuidados e materiais permitirão que a venda ocorra de forma mais rápida e que a armazenagem e transporte também sejam facilitados.

Outro fator é que além de seguir as especificações da Anvisa você pode, em conjunto com a fábrica de rótulos, criar um design atrativo, bonito e que além de tudo contenha todas as especificações.

Portanto, o material de etiqueta para alimentos segundo os critérios da Anvisa não pode:

  • Transmitir ao alimento componentes indesejáveis ao produto;
  • Conter substância tóxicas como zinco, mercúrio, cádmio, chumbo ou selênio;
  • Representar algum risco à saúde;
  • Alterar o produto, como seu gosto ou seu cheiro.

A legislação da ANVISA é dividida de acordo com o material utilizado na embalagem, definindo a quantidade mínima que cada componente pode ser inserido na embalagem.

Por isso que restaurantes e lanchonetes precisam buscar fornecedores que ofereçam serviço de qualidade. Outra opção é procurar aluguel de impressoras preço para produção da própria embalagem – no caso de produção diária -seguindo os critérios da ANVISA.

Embalagens de produtos congelados

Atualmente muitos restaurantes tem investido na área dos congelados, principalmente vendendo seus produtos de maior sucesso para que as pessoas possam fazer em casa. São produtos mais artesanais e voltados a diversos segmentos de comida fitness a gourmet.

Para que seu produto alcance sucesso e seja vendido, é importante que haja a colocação de etiqueta. Esse produto é peculiar pois as etiquetas para congelados precisam ser mais resistentes ao contato com a água.

Quase sempre é utilizado para fabricação desse tipo de etiqueta o material BOPP (polipropileno biorientado), sendo também encontrado em papel couchê.

O material BOPP é o mais indicado pois não absorve água e resiste ao congelamento fazendo com que seu aspecto não mude.

Além do mais, o BOPP pode ser brilhante, transparante, metalizado ou de outro tipo, de acordo com as necessidades e gosto da empresa.

O papel couchê é mais econômico que o BOPP, entretanto, por ser papel resiste pouco á água e sua estrutura absorve à umidade, não resistindo. Quando ocorre o descongelamento, a etiqueta fica borrada, encharcada, o que acaba não sendo bom para a marca.

A grande vantagem do couchê é que é possível fazer escrita com caneta esferográfica (como anotações à mão) de modo mais rápido, pois seca rápido. Diferente do BOPP, no qual é preciso esperar uns segundos para escrever de novo, senão a tinta borra.

Vimos que as etiquetas seguem padrões de qualidade para que restaurantes, bares e lanchonetes possam vender seus produtos de forma mais segura.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *