Confira um pouco da história da propaganda

Tida como uma das profissões mais criativas e “fora da caixa”, a propaganda é também um elemento fundamental no mundo dos negócios.

Seu objetivo é fazer a divulgação de produtos e serviços para os públicos de interesse da organização, fazendo com que as vendas aumentem.

No entanto, por mais moderna que esta área pareça, ela é mais antiga do que muitos imaginam.

Registros históricos revelam atividades que poderiam ser tidas como típicas da publicidade há alguns milênios atrás.

Quer saber mais sobre a história dessa profissão e área de negócios?

Continue lendo este artigo e confira um pequeno panorama a respeito de sua trajetória:

Como surgiu a publicidade?

Por mais que essa área do conhecimento só tenha sido sistematizada em meados dos séculos XIX e XX, os princípios do marketing e propaganda existem desde tempo atrás.

Historiadores afirmam que no período da Antiguidade Clássica pessoas se espalhavam pela cidade de Pompeia (atual Itália) para divulgar acontecimentos recentes da localidade, bem como para anunciar a oferta de produtos e serviços, com o objetivo de fazer com que os habitantes da região os consumissem.

Esse hábito, contudo, não era exclusividade dessa região: os chamados pregoeiros também estavam presentes no Egito antigo – que, além de usar anúncios orais, faziam pinturas e murais para transmitir mensagens.

Já na Idade Média (século XV, mais especificamente) surgiu um tipo de projeto conhecido no meio publicitário até os dias de hoje: os folhetos.

Um dos primeiros modelos conhecidos foi produzido no ano de 1482, em Paris, com o objetivo de divulgar um evento religioso.

Porém, como a tecnologia da época era limitada, esses materiais tinham uma tiragem limitada, além de uma qualidade de impressão muito longe da atual.

A publicidade como conhecemos hoje

Um pouco mais tarde, no século XVII, surgiu um fenômeno mais comparado às estratégias publicitárias atuais.

Naquela época surgiram, na Inglaterra, os primeiros jornais – que, assim como os atuais, contavam com alguns espaços reservados para anúncios publicitários pagos.

Aproximadamente na mesma época, historiadores apontam que surgiu a primeira peça enganosa.

Os anos dourados da publicidade

Durante boa parte da Idade Moderna, a área publicitária e de divulgação permaneceu praticamente inalterada, sem muitos avanços.

Na época, além dos avisos orais, usava-se panfletos de baixa tiragem e má qualidade de impressão.

Contudo, isso mudou nos séculos XIX e XX, quando ela foi sistematizada como área de conhecimento e profissão.

O seu ápice foi entre as década de 1950 e 1970, décadas conhecidas como Anos Dourados.

Foi nessa época que surgiu o conceito de agencia de publicidade usado hoje, com os trabalhos organizados em setores.

São eles:

  • Atendimento;

  • Planejamento de mídia (ou apenas planejamento);

  • Criação;

  • Produção convencional.

É interessante notar que, além de estabelecimentos de renome e campanhas lembradas até hoje, essa época é relembrada pela maneira como incorporou os avanços sociais ocorridos no período.

Um bom exemplo disso foi a inclusão de mulheres nas peças publicitárias, como elas eram as protagonistas do lar, administravam o dinheiro da família e assumiram um papel social cada vez mais importante.

Elas foram tidas como responsáveis pelas decisões de consumo, o que resultou em uma presença marcante em campanhas- assim como o direcionamento das peças para esse público.

Entretanto, por mais que alguns princípios dessa época sejam conhecidos até hoje, o segmento já mudou muito desde então.

Confira mais a respeito disso a seguir.

Como ela funciona na atualidade?

Atualmente, boa parte do mercado publicitário trabalha com base em plataformas nos meios digitais.

Apesar de ainda haver profissionais e empresas que atuam com rádio, TV e veículos impressos, o marketing digital é a grande celebridade do ramo.

O motivo por trás disso é que a técnica permite um grau de segmentação muito mais alto do que os métodos convencionais.

Afinal, uma peça de TV é exibida a qualquer pessoa que tenha o aparelho ligado, sem distinção alguma.

Já uma peça exibida pela internet pode ter sua exibição controlada por meio de variáveis como:

  • Gênero;

  • Idade;

  • Localidade geográfica;

  • Poder aquisitivo;

  • Interesses;

  • Histórico de navegação na internet.

Por conta disso, o uso extensivo de dados também tem se tornado cada vez mais popular: boa parte das estratégias publicitárias envolve a coleta e análise de dados a respeito do público que será atingido por ela.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *