Criando a identidade visual da sua empresa

Engana-se quem pensa que uma agencia de marketing digital trabalha apenas com métricas e com a geração de conteúdo para blog e mídias sociais. Sua função é aprimorar a marca como um todo, com o objetivo de ampliar a geração de valor para ela.

O problema é que, caso o seu negócio não tenha um símbolo que o represente e permita o seu reconhecimento pelo público consumidor, é difícil que ela se concretize na mente do público. Por conta disso, é fundamental que ela conte com uma identidade visual empresa bem elaborada.

Ao contrário do que muitos pensam, essa tarefa não é para qualquer um. Além de assegurar que a identidade realmente é bonita e representa o negócio, é preciso tomar cuidado com as questões legais: o uso de marcas registradas e de símbolos já usados por outras empresas pode gerar ações judiciais.

Assim, ela deve ficar nas mãos de um profissional da área de design digital.

Quer saber mais a respeito do processo de criação dessa identidade? Continue lendo e confira o passo a passo:

  1. Elabore o briefing

No mundo do marketing, da publicidade e do design, tudo começa pelo briefing. Trata-se de um documento onde são reunidos dados tanto do cliente tanto do projeto, com informações tais como:

  • Valores institucionais do cliente;

  • Público-alvo;

  • Orçamento disponível para o projeto;

  • Prazo de entrega.

Assim, o profissional que o elabora traça uma espécie de mapa, que sinaliza o caminho que será percorrido até a conclusão do projeto. Da mesma forma, os dados levantados junto ao cliente sobre o próprio negócio ajudam a saber quais ideias funcionam bem e quais não se encaixam em sua proposta.

  1. Faça um brainstorming

Por mais completo que o briefing seja, ele não permite a passagem direta para etapa da criação de marca. Antes disso, é preciso separar o joio do trigo em termos de ideias. Para tal, pode-se usar o brainstorming (ou chuva de ideias, em português).

Trata-se de um período de tempo durante o qual os profissionais envolvidos listam tudo o que lhes vier a mente, independentemente de ser adequada ao projeto em questão ou não. É uma forma de incentivar a criatividade e tirar o melhor que cada pessoa pode oferecer.

  1. Analise a concorrência

Empresas de marketing estão habituadas a fazer análises constantes do cenário externo de seus clientes – ou seja, da concorrência. A ideia é visualizar as tendências do setor, de modo que o estabelecimento não fique para trás nas últimas tendências.

Contudo, nem todos sabem que essa prática também é altamente recomendada na elaboração de uma identidade visual. Além de buscar inspiração em outras empresas que atuam no mesmo ramo, deve-se observar se há algum elemento que é registrado por uma delas: caso outro negócio o reproduza sem a autorização devida, isso pode dar causa a uma ação judicial.

  1. Filtre os resultados do brainstorming

Com base nos dados sobre o cliente e na análise da concorrência, os profissionais envolvidos no projeto já podem fazer uma filtragem daquilo que veio a tona durante o brainstorming.

Recomenda-se desistir de ideias difíceis de se reproduzir, ou que não sejam condizentes com a proposta do cliente e/ou que já tenham sido usados por outro estabelecimento.

  1. Crie algumas possibilidades

Com base nos resultados tidos como viáveis, os designers podem elaborar algumas opções de identidades visuais para a empresa. Para tal, eles fazem uso de recursos gráficos, tais como:

  • Tipografia;

  • Símbolos gráficos;

  • Formas geométricas;

  • Cores.

Normalmente, cria-se mais de uma opção, e todas são submetidas ao cliente, que detém a palavra final a respeito de qual será a identidade definitiva do negócio.

Vale ressaltar que, além da estética, é fundamental considerar que a imagem terá que ser reproduzida em diversos meios, de materiais impressos, como cartões de visita e papéis timbrados, materiais de marketing digital, como banners de redes sociais e o próprio site do negócio.

  1. Escolha a melhor

Com todas as opções apresentadas e devidamente explicadas, os proprietários do estabelecimento escolhem qual será a identidade gráfica que os representará junto ao cliente. As demais opções são descartadas – afinal, eram apenas protótipos.

Depois da escolha, o cliente recebe uma série de arquivos de imagem com todos os componentes da identidade visual, para que ele seja reproduzido nos mais diversos suportes.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *