Já conhece as placas indicadas para empresas?

O conceito de comunicação visual é um dos mais amplos ao longo de todo o mercado produtivo, o que engloba as indústrias e empresas dos mais variados segmentos.

Justamente por ser altamente genérico, este conceito é costumeiramente sedento de um padrão. Isto é, tudo o que for veiculado a respeito da identidade visual da marca nos meios on ou off-line devem ser replicados por inteiro em todas as peças.

E, por mais simplista que pareça, essas aplicações devem compor portas, embalagens, rótulos e demais perfis de identidade que somente a empresa em questão é capaz de produzir, entender e protagonizar.

Neste contexto, as placas de identificações, e o mesmo vale para as de emergências, devem representar justamente o ponto de vista da empresa no que tange aos avisos publicados e demais recomendações de uso/permissões.

Quanto aos materiais que normalmente compõem estes objetos, os elementos mais dinâmicos e modernos oferecidos pelo mercado, como um todo, ficam por conta do PVC (que, por sua vez, pode ser ou não expandido) e do ACM.

O segundo, nada mais é do que uma mistura de alguns elementos químicos que, unidos, conferem um material absolutamente resistente e, ao mesmo tempo, flexível.

A respeito dos locais de aplicação dessas placas e demais materiais técnicos, os grandes e maiores exemplos podem ser representados pelos lançamentos imobiliários, bem como pelos painéis dispostos no mundo urbano em geral.

Para as instituições, a regra é a mesma. Isto é, portas, armários e outros móveis do tipo podem receber as aplicações com o objetivo claro de, uma vez por todas, padronizarem sua linguagem não somente perante o público externo, mas também com relação aos próprios colaboradores da corporação.

As melhores formas de fazer isso é nas instalações dos seguintes materiais:

  • Placa para empresas;
  • Placa de identificação de portas;
  • Placas de sinalização personalizadas;
  • Placa de sinalização de emergência.

É necessário instalar algumas placas em sua empresa

Se você é proprietário, administrador ou um simples colaborador de uma empresa ou indústria, já deve ter ouvido falar que a colocação de placas para empresas representa praticamente uma obrigação a marcar presença nestes espaços.

Tecnicamente, os materiais podem ser compostos por PVC, alumínio, madeira, acrílico, vidro, aço escovado ou vidro propriamente dito.

Por mais que cada um desses materiais sejam responsáveis por oferecer uma característica única aos espaços, eles devem ser adquiridos sob o sistema de compra planejada.

Isto é, você deve entender as suas reais necessidades espaciais e até mesmo geográficas antes de instalar cada placa desse tipo.

Para avisos de segurança, por exemplo, os modelos são diversos. O mesmo vale para as indicações diversas da rotina.

O impactante a respeito da produção e consequente comercialização dessas placas fica por conta de que elas devem, acima de qualquer coisa, serem absurdamente legíveis.

As portas também devem receber ações de sinalização em uma empresa

Mesmo que em empresas de pequeno porte, as placas de identificação para portas devem, acima de qualquer outro trabalho, marcar presença em escritórios e demais espaços subdivididos em diferentes cômodos ou ambientes comerciais.

A ação, inclusive, causa excelentes impressões de profissionalismo e organização prática aos olhos dos usuários e visitantes externos, que, por sua vez, podem enxergar a instituição de uma forma muito mais qualificada.

De maneira similar ao que acontece na primeira descrição, no entanto, esses objetos (como as placas para porta de consultório, por exemplo) são costumeiramente formadas por PVC, um dos materiais mais versáteis e resistentes do mercado.

Além dele, modelos em ACM ou aço escovado também são capazes de gerar um mais do que positivo efeito estético às aplicações.

As sinalizações de emergência devem obedecer algumas regras técnicas de segurança

De maneira um tanto diferenciada do que acontece nos outros dois formatos, as placas de sinalização de emergência devem ser produzidas com base nos códigos de segurança previstos no setor.

No campo prático, o gesto se explica, por exemplo, através dos materiais refletivos e luminosos.

Como eles são obrigatórios em algumas instalações e colagens das placas (como nas de acessibilidade e perigos variados), a colocação das placas de sinalização de emergência fotoluminescente em si deve prezar em muito pela funcionalidade do aplique.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *