Como utilizar as tampas plásticas com melhor aproveitamento

As tampas plásticas, em suas mais variadas formas e tamanhos, estão presentes no dia a dia de quase todas as pessoas que vivem na cidade.

Seja em garrafinhas PET, em cosméticos, embalagens de suco de caixinha ou em qualquer outra variação delas que você encontrar no dia a dia.

Mas, como é que as tampas plásticas ou até mesmo o plástico, dominaram o mundo de maneira tão absoluta? Quais as especificidades desse material que lhes confere diferencial em relação aos outros?

O que é o plástico e quais são os seus tipos?

O plástico é um membro do grupo dos polímeros, as famosas moléculas grandes (ou macromoléculas), formadas por várias moléculas simples menores (monômeros).

O plástico é oriundo de resinas derivadas de petróleo, e pode ser dividido entre dois tipos ou grupos:

1. Termorrígidos

Pelo nome, é possível perceber que se trata do grupo dos plásticos mais rígidos e que isso, tem a ver com a temperatura.

Pois bem, os termorrígidos são os que não derretem com o aquecimento (são insolúveis) e, portanto, não podem ser reciclados. O exemplo mais claro que se pode dar desse grupo são as lentes de óculos.

2. Termoplásticos

Em oposição aos termorrígidos, os termoplásticos são mais maleáveis e podem ser fundidos quando aquecidos.

Estes apresentam uma característica interessante, que é a de não perder sua estrutura molecular depois de fundido, ou seja, ele pode passar por esse processo várias vezes e ser reciclado mais de uma vez, mantendo sua estrutura molecular.

É o grupo de plástico mais comum, sendo representado, muitas vezes, por embalagens, garrafas PET e, nosso objeto de interesse, produzido pelo fabricante de tampas plasticas.

Uma breve história do plástico

O plástico, como já foi dito, é constituído por resinas derivadas de petróleo. Ele teve sua descoberta em meados do século XX, quando cientistas buscavam materiais para substituir a borracha e, que pudessem ser moldado enquanto aquecido, mas mantendo a forma após resfriado.

De início, as substâncias que encontraram eram muito caras e foram descartadas. Mas, há aproximadamente 100 anos, em 1909, um cientista chamado Leo Baekeland, conseguiu criar a baquelita, o primeiro polímero completamente sintético.

A baquelita pode ser considerada o primeiro plástico como conhecemos, e era conveniente por sua alta resistência ao calor, à eletricidade e por sua rigidez.

A partir dessa descoberta, foi fácil para o plástico se expandir e dominar o mercado, através de fornecedores de tampas plasticas e outros itens derivados do material.

Seu baixo custo, em comparação aos outros materiais que eram utilizados, foi determinante em seu domínio global.

Hoje em dia não se pode imaginar viver de maneira prática sem o plástico, o que gerou um grande mercado para fabrica de tampas plasticas sp.

Voltando às tampas plásticas

A partir da difusão em massa do plástico, começaram a surgir os mais variados tipos de objetos formados pelo polímero.

Entre eles, a garrafa PET, que substituiu as antigas garrafas de vidro, que tinham a hegemonia mundial nesse setor.

Dessa maneira, se desenvolveu também as tampas plasticas para garrafas pet. Hoje em dia, elas não servem apenas para fechar as garrafas, mas também, servem para artesanato, brincadeiras infantis, reciclagem, trabalhos escolares, entre outras utilidades.

Constantemente se descobrem novos e possíveis usos. Inclusive, a fabrica de tampas plasticas SP, recentemente aderiu a um novo tipo de plástico, oriundo de cana-de-açúcar. É o chamado Plástico Verde!

Mas, como já foi dito por aqui, não é só de garrafas PET que vivem as tampas. Existe um imenso comércio que as cercam, pois elas podem ser usadas em outros objetos.

Por exemplo, outro grande representante no mercado atual, são as tampas plasticas para cosméticos. Nas últimas décadas, a indústria de cosméticos cresceu exponencialmente e a indústria do plástico pegou carona nesse enorme sucesso.

Hoje em dia, há várias empresas que ocupam o cargo de fabricante de tampas plasticas, pois se tornou um ótimo negócio.

Entretanto, deve sempre ser lembrado, que mesmo com esse grande avanço da indústria de plástico, como um todo, o bom senso é fundamental, para que o grande número de plástico utilizado não polua os oceanos, os rios e as ruas.

O plástico é reciclável e pode ser um aliado na luta contra a poluição ambiental, basta saber como usá-lo e, principalmente, como descartá-lo de maneira adequada.

Sempre procurando as latas de lixo reciclável, ONGs e pessoas físicas que desenvolvem trabalho com esse material.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *